Experiências transexuais na escola

8 dez

Os danos causados pelo preconceito são imensuráveis. Todavia, se pudéssemos fazer um exercício de reflexão liberto dessa proposição não seria por demais imprudente inferir que a letra T no universo LGBT está especialmente vulnerável. Travestis e Transexuais constituem talvez o mais estigmatizado grupo social no mundo ocidental por desafiarem a relação imediata entre corpos e identidade de gênero. Pessoas que não se auto-identificam e não querem ser identificadas pelo “sexo” inscrito em seus corpos colocam na berlinda velhos valores e pressupostos erigidos pela religião e pela visão que condensa história, subjetividades e ciências biológicas.

Evidência disso é que apenas muito recentemente as demandas de Travestis e Transexuais passaram a ser contempladas, não sem ressalvas, pelos movimentos organizados LGBT – o que denota a dificuldade dos paladinos da diversidade diante de uma diversidade muito mais complexa. Se mesmo a militância LGBT ainda tem dificuldades com a compreensão da travestilidade e transexualidade, podemos imaginar o quão difícil é a inserção d@s Ts em sociedades tão resistentes aos “outros” com a nossa.

É nesse contexto – bastante sumarizado – que se revela a importância crucial dos estudos da professora Dayana Brunetto. Se a marginalização de Travestis e Transexuais comumente começa nas famílias, é na escola, espaço de formação institucional, que a exclusão se consagra e se reforça formalmente. É tão-somente pelo estudo dos mecanismos de exclusão que esse processo cruel pode ser combatido, e é justamente esse estudo que realiza a professora Dayana Brunetto.

Em um trabalho de pesquisa rigoroso, inédito, fundamentado teoricamente e sistematizado em um texto objetivo e coerente, a professora Brunetto dá uma enorme contribuição para a reflexão acerca da experiência das e dos transexuais nas escolas brasileiras e nos ajuda a pensar sobre estratégias em prol dessa população.

Sem mais delongas, o trabalho da professora Dayana Brunetto é essencial e de leitura obrigatória não só para educadores, mas também para qualquer pessoa que deseja conhecer mais sobre esse universo tão mal conhecido, interpretado e tratado.

Faça o download da dissertação de mestrado de Dayana Brunetto aqui. (Arquivo em formato PDF)

Anúncios

Uma resposta to “Experiências transexuais na escola”

  1. escortbayanilan 1 de janeiro de 2011 às 18:58 #

    A brand new year is celebrated all over the world and the public to get better healthy happy new year I wish to spend a peaceful new year küsler anyone stand in the new year away from travesti loved ones never be peace in the war around the globe regardless of whether or not the world we live in peace and love every human being deserves travestiler to live If we’re not animals deserve to be happy in this new year you pay to üzmeyin for nothing because nobody happy throughout your life that you live a healthy life, I’m a god

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: