Um pouco mais sobre a Liga Brasileira de Lésbicas

27 jul

A Liga Brasileira de Lésbicas (LBL) nasceu em 2003 na ocasião do Fórum Social Mundial realizado em Porto Alegre. Desde então a LBL atua em favor das demandas das mulheres lésbicas e bissexuais enquanto uma articulação nacional feminista, autônoma e horizontal.

O que isso significa?

Articulação nacional – significa que a LBL se organiza em todas as regiões do país (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul), com militantes em vários Estados, como o Piauí, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Dessa forma a LBL se ocupa em promover o diálogo entre grupos de mulheres lésbicas e bissexuais com redes feministas e a favor da promoção dos direitos das lésbicas e bissexuais em nosso país.

Autônoma – significa que a LBL não mantém vínculos partidários, econômicos, religiosos ou de qualquer outro tipo, assim, preservamos nossa autonomia e liberdade para defendermos nossas bandeiras.

Horizontal – significa que a LBL não se organiza de forma hierárquica. Todas as mulheres que fazem parte da Liga Brasileira de Lésbicas possuem direito à voz e voto em nossos encontros deliberativos tanto a níveis estaduais e regionais quando a nível nacional.

Quais são as bandeiras da LBL?

Dentro da LBL buscamos, através da articulação nacional, a organização de mulheres lésbicas e bissexuais com as demais Redes Feministas, a fim de avançarmos em conquistas, com ação militante junto à sociedade civil e ao poder público da União, dos Estados e Municípios.

Queremos o reconhecimento pleno da cidadania lésbica, da cidadania homossexual e bissexual;

Queremos a liberdade absoluta para todas as mulheres e para a sociedade como um todo;

Queremos a construção de uma sociedade livre de preconceitos e de todas as formas de opressão, onde possamos viver e amar livremente;

Queremos o fim de todo o tipo de violência contra as mulheres;

Queremos um mundo livre do machismo, da misoginia, da homofobia e da transfobia.

POR FIM,

Conclamamos todas as mulheres a darem seu grito de liberdade, a declarar sua autonomia, a reagir contra o machismo e a misoginia!

Não se cale! Ser lésbica é um direito! Ser bissexual é um direito!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: